segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Saudade.





Saudade é pau. Nos deixa atordoados. Nos traz um desespero quase incrontrolável, daqueles que se mata ou quer morrer. É tão urgente quanto a vida. Tão urgente quanto nós mesmos e a nossa pressa de querer tudo a toda hora. Querer tudo do jeito que achamos que é certo. De um jeito que possa nos fazer feliz.
Saudade aperta e vai tirando o ar aos poucos. Tira o ar até daqueles que raramente a sentem. É ilimitada, não diz quando vai acabar. Nos empurra de um penhasco. Ou você aprende a voar, ou dá de cara no chão.
Saudade nos faz sorrir também. Traz a leveza de um sorriso. A alegria de um momento, de uma pessoa, de uma época. Fala-se de saudade do mesmo jeito que fala-se de amor, esperança, tristeza. Há quem diga que saudade é o primeiro sintoma de amor. Pode até ser, mas por que? Talvez porque queremos a presença quase sempre. Porque somos carentes profissionais e precisamos de carinho e um pouco de amor, pra sair dessa rotina de sentimentos que é a vida de hoje. Queremos a perfeição de uma hora. A possível formação de um sentimento. Queremos que o mundo caiba nas nossas mãos pelo menos uma vez na vida. Queremos ser a vida. Simplesmente queremos ser a origem do mundo.
Sentir saudade é digno. Sinto um pouco de pena de quem não a sente. Ou que até sente, mas não da forma normal. Nada mais é normal. Ninguém mais é normal, mas tem mania de querer ser. O diferente atraí do mesmo jeito que nos leva pra longe.
Inventamos um amor porque sentimos falta de amar. Inventamos um amigo imaginário porque sentimos falta de amizade verdadeira. Fantasiamos muitas vidas pra fugir da realidade. No fundo tudo se trata de sentir saudade de quem você foi um dia. A falta de uma pessoa e da felicidade que parecia ter encontrado.
Saudade é fria, quente, agressiva, delicada. Nos arrebata a ponto de ficarmos jogados na cama durante horas ouvindo música. Pensando. Pensando. E nada de o sono vir. E nada das horas passarem. E nada de ela nos deixar em paz. Saudade demais é tortura da mais pura e cruel. Quem já foi vítima de saudade, sabe. O mais engraçado é que apesar de tudo isso, somos viciados em senti-la. É uma das drogas mais comuns e necessárias em uma vida.

" Saudade é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida"- Clarice Lispecor.

Um comentário:

  1. (sim, li... tbm to com saudades hehehe de uma época, algumas atividades e com algumas pessoas) tô com saudade da Panda,da sonzeira e viagem nas letras

    ResponderExcluir