quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Quase amor.


Dentro de ti há de ter um pouco de mim.
Um pouco de nós.
De todas as palavras e carinhos trocados.
Nunca nos perdemos tanto.
Ouço a tua voz distante, mas tu nunca estiveste tão perto como agora.
Dentro de ti há de ter um pouco dos meus sonhos.
Um pouco dos meus medos.
Um pouco do meu amor.
O meu amor é um pouco hermético, admito.
Mas acredito que tu gostes da minha complexidade.
Eu gosto um pouco da tua complicação.
Nos gostamos de forma ora certa,ora errada. Hermética, complicada.
No fundo tudo se resume a nós.
Se resume a essa paixão impaciente. À amizade que cultivamos.
Ao nosso caso alegre e às vezes distante.
Dentro de mim há de ter um pouco de ti, aliás.

2 comentários: