Às vezes acho que guardo boa parte do meu amor por ti no estômago, pois quando sinto saudades, desejo comer a presença e quando brigamos, só falto morrer de gastrite. Como uma gorda que se preze, prefiro passar o resto da vida comendo a tua presença a ter que morrer de gastrite por ter que deixar de amar você. Quase trágico.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Insônia feliz

Estado de graça