sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Eu, um livro e Clarice Lispector





Sinto-me estranhamente bem. Não sei por onde começar, também não sinto vontade de me explicar, mas sempre o faço, talvez como uma tentativa de me entender.
Caio todos os dias na mesma e maldita rotina. Normal. Sinto-me mais alegre por ter conseguido passar o dia muito bem acompanhada de um livro. De um ótimo livro, aliás.
Preciso também declarar algo sobre este livro, ou melhor, sobre a Escritora: Ainda não consegui achar escritora tão rara, única, impulsiva, triste, angustiante e ao mesmo tempo bonita, absurdamente maravilhosa, não escritora, mas sim como a própria diz 'sentidora' como Clarice Lispector. Sinto-me estranhamente feliz e feita por ter como companhia um livro seu.Mas, vamos voltar a mim. Ao meu dia.
Não é fácil tentar explicar o que penso, o que sinto, o que tento expressar da forma mais sutil e crua, através da palavra escrita, quase nunca dita.
Não sei ao certo se posso ser chamada de 'escritora', talvez seja um cargo muito alto para mim. Mas também não ao certo se posso ser chamada de 'sentidora', mesmo me identificando muito com isso. Talvez eu seja uma montanha-russa de emoções, pensamentos, sentimentos, momentos e acontecimentos. Tenho a necessidade de registrar, de vomitar da forma que me parece mais certa, mais fácil e gostosa: Escrevendo.
Estou MUITO longe de poder me comparar a qualquer nome da literatura, seja ela brasileira, estrangeira ou amadora. Também não preciso disso, não aprecio até. Mas vou confessar uma coisa e ao mesmo tempo, acabo voltando a falar não totalmente de mim, mas de mim e de Clarice: De tanto ler e tentar entrar discretamente nas suas obras, na sua escrita, na sua possível mania de ser,acabo sempre vendo rastros de sua literatura na minha pobre, iniciante e bagunçada literatura. Gosto disso. Gosto de poder me formar e trazer migalhas de alguém tão brilhante e SEU.
Confesso que vim com o objetivo de escrever no máximo quatro linhas ou menos. Mais uma vez fui tomada não só por um impulso, mas pela eloquência de tentar me explicar com detalhes, mesmo não gostando muito deles.

Um comentário:

  1. Valeu amiga Alessandra Dinelli, sua indicação de postem, pois vi belíssimo post que nos instiga a fazermos mudanças come título de seu tema, mas sua descrição é suave em relação com o descobrir e sentir ..."sim como a própria diz 'sentidora' como Clarice Lispector. "Obrigado por partilhar"!

    ResponderExcluir