terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Eu te amo, só que não.



Hoje é preciso ter muito cuidado com o famoso e tão esperado "eu te amo", que parece ter se tornado a moda do momento.

Você conhece alguém e fica fascinada pelas qualidades e pelo de interesse que ele passa. Em alguns meses já está mais do que encantada e pronta pra falar, mas não tem coragem. Não sabe se vai ser bem recebido, se vai ser estranho. Melhor esperar.

Vocês saem para jantar e conversa vai, conversa vem, você escuta "Eu te amo". O QUE? Será que foi isso mesmo que você ouviu? O coração começa a querer sair pela boca, a respiração fica mais difícil, as mãos tremem e você nem pensa duas vezes e fala: "TAMBÉM TE AMO". Mas acontece que ele estava contando uma história e no meio disso tinha um "eu te amo" que foi dito por alguém.Você se toca e fica confusa, vermelha, quer sair correndo, se enfiar em algum beco e nunca mais olhar na cara dele. É, minha cara, você deu um fora daqueles.

Ele, por sua vez, tenta não demonstrar que está nervoso e nem soltar aquela gargalhada pro clima não ficar pior. Agora já era, o jeito é aceitar a situação que nenhum casal durante um encontro quer passar: aquele momento em que ninguém consegue falar nada e um fica olhando pro outro com cara de caneca.

Você tenta puxar assunto, mas nada de interação. Tenta contar uma piada, mas está tão sem graça que nem consegue abrir a boca direito.

Ele nem olha mais nos seus olhos e pede logo alguma coisa para beber. Você acompanha e ficam nisso por uns longos dez minutos, até que alguém resolve abrir a boca:

- O jantar está ótimo, não?

- Pois é. Restaurante bom, comida boa. - Você responde e nem sabe mais o que está falando.

- É. Acho que está ficando tarde, amanhã vou trabalhar cedo - Ele responde, você escuta, mas não aceita porque no começo da conversa ele tinha falado que no outro dia seria sua folga.

- Vamos pedir a conta, então. - Melhor decisão tomada. Pagar a conta, entrar no carro e correr pra casa para se deprimir.

Enquanto volta pra casa, fica pensando em o quanto foi boba, o quanto ficou distraída com aquele sorriso, aquele jeito e nem prestou atenção na conversa, só ficou focada no tal do "eu te amo", que parece ter estragado a noite. Aí começa a pensar que ele tem sido tão falado, mas ainda assim é tão forte.

Quer dizer, tem gente que é casado há dez anos e se o homem fala pra mulher "eu te amo" está tudo bem, ela acredita e fica por isso, mesmo. Ele pode até amar, mas será que ainda é apaixonado? Amar é algo tão singular e tão individual. Você ama seu pai, sua mãe, seu cachorro, seu amigo, mas o amor que pega é aquele que você se envolve com alguém que te provoca arrepio, momentos de sorrisos infinitivos e toda aquela vontade de construir uma casa, casar e ter filhos (ou um cachorro).

O amor vai além dessa simples frase, além disso que pode mudar a vida de alguém em questão de segundos. Você estava lá sentada e ansiosa para ouvir alguma coisa e ouviu, mas na hora errada e com a intenção errada. Agora, mais calma, começa a perceber que ele até poderia te amar. Amar é demonstrar, acima de tudo. Com essa banalização de “eu te amo” fica até difícil de você acreditar que está sendo amado, mesmo. Amar é você segurar a mão do outro enquanto conversa. Amar é olhar nos olhos e ficar encantado. Amar é comprar um presente sem precisar de uma data especial. Amar é escrever bilhetes, mandar mensagens, ligar para dar boa noite, bom dia, boa tarde. Amar é ser brega, sim! Amar é respeitar o outro, ser fiel e honesto. Amar é procurar ser feliz e fazer o outro feliz. Amar é cuidar, é se importar. Amar é perceber quando algo não está bem e tentar fazer algo pra resolver. Amar é se interessar pela vida do outro, pelos eventos corriqueiros, mesmo quando nem parece tão interessante. Amar é perdoar, mesmo que seja difícil e mesmo que você não consiga logo de cara. Você vai implicar, bater na mesma tecla algumas vezes, mas depois vai se tocar e dar um desconto. Amar é tudo isso. Amar muitas vezes é só um sorriso, um abraço, um carinho. Nada muito exagerado. Amor da forma mais simples e barata.

Acontece que agora você já até apagou o número do celular dele e o conhecendo bem, ele também deve está envergonhado e não vai ligar, a única coisa que você pode pensar é: A gente pode até se amar, só que não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário