segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Santa Nostalgia!


Chegamos ao limite do mundo. Não sei onde estaremos daqui a alguns anos. A tecnologia tem acabado com a verdadeira esperança. Ando sentindo falta de coisas antigas, mesmo sendo tão nova. Nasci na época errada. Devo ter uns 40 anos, pra falar a verdade. Me contento em ser feliz com as minhas pequenas coisas e ao mesmo tempo sou tão atual. Tão avançada. Nunca estou no presente propriamente dito. Fico com um pé no passado e outro no futuro. O meio termo nunca me interessou, mas é bom ficar num impasse de vez em quando. Sou a espera de mim mesma. Continuarei sentada, escrevendo e sendo. Ser não é um crime. Em relação ao resto, vocês tecnológicos que se entendam. Se programem de forma certa, por favor.
Essa coisa de querer acabar com os livros tem me tirado a paz. COMO É QUE É? Tirem logo a minha liberdade. Tenho medo de dormir e acordar em outro mundo. Que infelicidade seria perder minhas coisinhas. Que triste seria não ser eu. Outro dia sonhei com o mundo. Outro dia criei a vida.
Resolvi experimentar escrever de manhã, quando o raciocínio ainda está um pouco lento e mal conseguimos abrir os olhos direito. Saí de um sonho para outro. O som da máquina me deixa feliz. Até os erros não me irritam tanto. Não sei por que tenho errado tanto. Acho que estou perdendo a prática. Que coisa. Às vezes sou estrangeira no lugar onde vivi a minha vida toda. Vai entender. Acho que não pertenço a lugar nenhum. Enfim sou livre. Nasço e morro todos os dias. Enfim não sou o tédio.
Viver é um show que não pode parar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário