terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Estou aqui. Minha cabeça nem tanto, mas estou de corpo presente. Fico olhando para a tela do computador durante horas e nada. Nada quer sair, apesar de ter tanta coisa que precisa ser dita.
Começo a ficar agoniada com esse vício de ter-e-não-conseguir-escrever, entende? Parece que os pensamentos estão tão acumulados e bagunçados, que mal conseguem  se mexer e muito menos querem sair.
Já não produzo tanto quanto antes e nem se quer consegui chegar à glória do êxtase, do estado de graça. Tenho vontade de pegar todos esses pensamentos e sortear ao menos um para ser alguma coisa. Tenho vontade de fotografar minhas loucuras, minhas saudades, meus encantos, meus medos. Queria ficar olhando pra eles por horas. Queria poder mostrar o que passa em mim e o que sou, de fato.
Aqui estou eu. Estou cansada, sonolenta, um pouco sem paciência, meio desligada. Ora presto atenção em tudo, ora esqueço até quem sou. Isso não é idade e nem doença. Isso é coisa de gente que voa demais, de gente que pensa demais, de gente que tem mania de sonhar acordada. Coisa de gente que mistura realidade com fantasia, mas ainda consegue passar a imagem de uma pessoa séria e em sã consciência.
Na verdade, eu queria poder ir além de todas essas barreiras, de todas essas correntes que insisto em nadar contra. Queria poder mudar alguma coisa, ser alguém importante. Tenho medo de morrer e não deixar alguma coisa que possa contribuir, mas quando penso bem, entendo já que contribui com a vida de muitas pessoas, não importa como.
Costumo me inspirar quando estou dirigindo e escutando música alta. Costumo me inspirar quando fico sentada olhando as pessoas. Costumo me inspirar quando vejo a chuva, o vento e essas coisas que parecem banais, mas que são tão importantes e belas, que nem a gente. A gente parece ser igual a qualquer um. Parece que a gente passa despercebido, mas todo mundo é bonito. Todo mundo é banal e precioso. Eu sou banal, preciosa e bonita.
Quero muitas coisas da vida. Coisas simples, mas quero, sabe? Quero poder dormir um pouco até a tarde. Quero poder dar uma volta com os meus amigos e conversar durante o pôr do sol. Quero ler um livro em um dia quente, onde tudo que a gente mais deseja é não ter que pensar. Quero sorrisos, abraços, lágrimas. Quero amar. Quero ver o mar. Quero viajar, sonhar e realizar, claro. Preciso realizar algumas coisas. Quero ser. Eu amo ser!

Nenhum comentário:

Postar um comentário