quarta-feira, 1 de agosto de 2012


Tô chegando a um ponto que não quero mais me preocupar. Já fui mais sensível às coisas da vida, do mundo, das pessoas. Não deixei de ser assim, mas agora percebo que sofrer faz bem porque depois que passa traz um paz, uma sensação de "sobrevivi e sou mais forte do que imaginava".
Acho as pessoas engraçadas. É interessante a forma como uma hora elas amam alguém e logo depois já as odeiam ou guardam rancor. Faz mal guardar rancor. Dizem que deixa o espírito perturbado, o psicológico abalado e pode dar rugas.
Entendo que perdoar é difícil. Não é qualquer um que consegue e nem são todos que tentam. Se você desculpar já é uma avanço, não? Sou a favor de não esquecer, mas dar uma segunda ou até terceira chance. Se por acaso não melhorar, abre mão e fica livre para outra coisa boa cair em você.
Sorria ao menos uma vez por dia. Se por acaso for um dia daqueles que você não quer nem respirar, pra não se irritar com o esforço, chega em casa, toma um banho, deita e vai ler um livro ou ver um pouco de tv. Tenta não descontar nos outros. Tenta não afastar os que mais te agradam e o que mais te amam.
Tô chegando a conclusão de que a vida é algo rápido, simples e gostosa, que nem miojo, mas tem que ser preparada e comida do jeito certo, se não fica sem graça e às vezes sentimos vontade de jogar fora. Eu sei preparar um bom miojo e vou começar a preparar minha vida assim, também.



Nenhum comentário:

Postar um comentário