sexta-feira, 2 de março de 2012

Dia de chuva





Agora posso me dar ao luxo de dizer que entendo algumas coisas.
Hoje está chovendo sem parar. Hoje é um dia daqueles que precisamos de amor. Se não puder ter um amor, ao menos um bom cobertor.
Hoje está um daqueles dias que o pensamento fica mais lento e os sentimentos se manifestam de todas as formas possíveis.
Vejo pessoas correndo na rua. Vejo carros com vidros quebrados. Vejo um pouco de romance, um pouco de tristeza. Vejo bastante angústia, mas nada grave demais.
Me limito a escutar músicas em versões acústicas e a procurar um bom cover de uma música realmente ruim para mim.
Me vejo com as mesmas perguntas, ainda sem respostas.
Tomo café que nem uma louca. Penso "Provavelmente não dormirei a noite... Mas não durmo nem quando fico sem o café, qual a diferença? A diferença é que alimentando esse vício me sinto melhor".
Procuro ler alguns livros. Agora que voltei a usar os óculos tudo ficou mais fácil (inclusive enxergar as coisas na sala de aula).
Pretendo tomar um banho de chuva daqui para a minha casa. Espero não gripar depois. Se tem uma coisa pior que tristeza, é a gripe. Deus, gripe é como levar socos na cara e no estômago todos os dias.
Hoje é um daqueles dias que quem tem costela, corre para casa pra ficar agarrado. Quem não tem corre para casa, se cobre com um ou dois cobertores, assiste a um filme e depois vai dormir. Mais, quem não tem costela e nem bom cobertores, corre para festas ou um lugar que tenha gente o suficiente para gerar um certo calor.
Hoje é dia de viver, enfim. Colocar um roupa mais bonita, tomar alguma coisa quente e escutar música velha.
Sei lá, acho que vou sentar na minha varanda e ter uma overdose dessas coisas simples e essenciais.
Tchau.

Um comentário:

  1. Do jeito que eu sou azarado, fico no café mesmo...nessa época de chuva num tô pegando ninguém... nem gripe
    Felipe Bentes

    ResponderExcluir