domingo, 30 de março de 2014

Enxergar-se no mundo



Todas essas fragmentadas informações que batem, voltam e penetram nas retinas dos meus olhos, formando imagens poéticas que, de repente, passam de forma ignorada, porque em meio a tanto caos e pressa, ninguém presta atenção. Eis que nesse momento, meu irmão, meu amigo, sou como um ex cego, que enxerga o mundo pela primeira vez. 
As tonalidades penetram pelos olhos e as projeções são espremidas pelos poros. Sinto vontade de chorar, mas controlo a emoção do novo para apenas utilizar minha incrível possibilidade de ver para admirar mais um pouco. Essa inebriante visão do mundo é como uma boa música sendo tocada bem baixinha, suave, tentando dançar no inconsciente, no seu ponto de partida, no que realmente é você no mundo. Essência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário